ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha - Dia dos Pais

 

Categorias

 

Fretebras

 

Landing Easydoc

 

Laguna

 

GLP Jun/19

 



Setor de logística será prioridade no PAC 3, afirma Dilma Rousseff

Publicado em 06/01/2015

Plano CNT de Transporte e Logística 2014 aponta a necessidade de quase R$ 1 trilhão em investimentos

​No discurso de posse, a presidente reeleita, Dilma Rousseff, afirmou que lançará a terceira edição do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). As ações, segundo ela, tratarão como prioridade o setor de logística, principalmente, no que diz respeito ao transporte, à energia e à infraestrutura urbana. 

Ela também afirmou que o Governo Federal lançará o Programa de Investimento em Logística (PIL 2). “Assim, a partir de 2015, iniciaremos a implantação de uma nova carteira de investimento em logística, energia, infraestrutura social e urbana, combinando investimentos públicos e parcerias privadas.”

No entanto, Dilma Rousseff ainda não detalhou as iniciativas e nem esclareceu os valores que serão disponibilizados para os projetos. 

Conforme a Confederação Nacional do Transporte (CNT), são necessários quase R$ 1 trilhão em investimentos para projetos prioritários de infraestrutura de transportes, a fim de eliminar os gargalos enfrentados pelo setor. 

São, ao todo, 2.045 intervenções elencadas como essenciais pela entidade. As iniciativas compreendem, por exemplo, modernização e ampliação de rodovias, aeroportos, portos, hidrovias, ferrovias e terminais de cargas e passageiros. Os dados estão na quinta edição do Plano CNT de Transporte e Logística, lançado em agosto do ano passado. 

Fundamentada nesse estudo, em setembro do ano passado, período em que o País vivia as campanhas eleitorais, a CNT encaminhou a todos os presidenciáveis uma contribuição da entidade para os programas de governo intitulado “O que o Brasil precisa em Transporte e Logística”. 

De acordo com o documento, um “ranking elaborado pelo Fórum Econômico Mundial com 144 países sobre a qualidade da infraestrutura de transportes posiciona as ferrovias brasileiras no 95º lugar, o transporte aéreo em 113º, as rodovias no 122º, além dos portos que também estão em 122º”. 

Fonte: Agência CNT de Notícias

 

 

Veja também: