Entrevista com o novo country manager da Dachser, Angel Santana, sobre a meta de crescimento da empresa em dois dígitos, ainda este ano
Data: 06/11/2014

Angel Henrique Santana Ackermann

Com novo country manager, Dachser pretende obter crescimento de dois dígitos, ainda este ano
Em 2013, a empresa gerou receita de 5 bilhões de euros e gerenciou cerca de 70 milhões de embarques

Por Viviane Farias | Redação MundoLogística

Após gerenciar grandes agentes de cargas internacionais e exercer funções estratégicas para a América Latina, que proporcionaram uma base sólida e experiência necessária, Angel Henrique Santana Ackermann assumiu a função desafiadora de liderar a Dachser Brasil.

Formado em Logística pela KG Panatlantic GmbH & Co., de Hamburgo, na Alemanha, o novo country manager da Dachser busca, em sua experiência e motivação, alcançar o objetivo de crescimento de dois dígitos para a empresa, ainda este ano.

Com sede em Kempten, na Alemanha, a empresa familiar Dachser é uma das principais provedoras de logística na Europa, oferecendo serviços de transporte, armazenagem e serviços específicos ao cliente, em três divisões de negócios: Dachser European Logistics, Dachser Food Logistics e Dachser Air & Sea Logistics.

Com uma equipe de 25 mil funcionários, em 471 localizações ao redor do mundo, a empresa, em 2013, gerou receita de 5 bilhões de euros e gerenciou, aproximadamente, 70 milhões de embarques. Em entrevista à revista MundoLogística, Angel Santana fala sobre seus objetivos no novo cargo, atuação e metas para alavancar os negócios.


MUNDOLOGÍSTICA: Ao assumir o cargo de country manager da Dachser, o senhor disse que pretende atingir um crescimento de dois dígitos, ainda este ano. Como almeja fazer isso acontecer?
ANGEL SANTANA
: Como uma das líderes globais na indústria de logística, a Dachser provou, com êxito, durante décadas, que uma empresa familiar pode conquistar muito com funcionários comprometidos e pensamento inovador. Nessa mesma linha de filosofia, a empresa tem mantido esses números no Brasil. Reconhecemos as dificuldades momentâneas, porém, mantemos o foco nessa meta de dois dígitos.
 
O senhor avalia a possibilidade de alavancar os negócios a partir do full service, na prestação de serviços logísticos. Quais os seus planos com relação a isso?
Esse é um grande diferencial da empresa no mercado. O cliente nos confia uma operação de importação ou de exportação e entregamos o serviço completo, com integração entre todas as etapas do processo logístico.

A Dachser utiliza o seu próprio pessoal para fazer o desembaraço aduaneiro. Quais as vantagens que a empresa obtém com essa forma de atuação?
Além dos aspectos abordados anteriormente, a empresa possui uma mesma forma de trabalho e os mesmos sistemas de gerenciamento, tanto na origem, quanto no destino.

Como é a integração da Dachser com os países nos quais atua?
A empresa Dachser, globalmente integrada, opera com um conjunto de processos, serviços compartilhados e tomada de decisão, amplamente distribuído, realizado por uma força de trabalho global altamente qualificada e gerenciado por um conjunto comum de valores.

O senhor já definiu metas a serem alcançadas em 2015?
Temos de reconhecer que os desafios são substanciais para o próximo ano. Nós realmente precisamos nos lançar ao trabalho e continuar com o melhoramento e posicionamento estrutural, em algumas áreas. Nosso pilar de crescimento rentável também consiste em aprofundar nossos conhecimentos, em nossos setores de automóveis, consumidor, energia, life science, retail e indústria. Temos equipes dedicadas no setor global, para oferecer aos nossos clientes soluções setoriais, ao longo de toda a cadeia de abastecimento, e assegurar um intercâmbio de conhecimentos sobre as melhores práticas entre regiões e unidades de negócios. Em nossa iniciativa, com produtos estratégicos de replicação, podemos desenvolver e reproduzir soluções logísticas destinadas a simplificar os processos de negócios dos clientes. Ao fazê-los, aplicamos nossos padrões e práticas comprovadas. Por outro lado, uma de nossas principais metas para 2015 é chegar ao “top 10” do ranking brasileiro de freight forwarders.

 





Voltar