Entrevista com o diretor da NeoGrid, Ricardo Gonçalves, sobre a nova solução Supply Chain Transformation
Data: 09/09/2014

Ricardo Gonçalves

NeoGrid lança solução Supply Chain Transformation
Visando aumentar o desempenho da cadeia de suprimentos, empresa desenvolve solução que sincroniza os processos nas indústrias, varejos e distribuidores

Por Viviane Farias | Redação MundoLogística

Há 15 anos no mercado, a empresa brasileira de software, NeoGrid, desenvolve soluções para a gestão da cadeia de suprimentos, integrando as redes de negócios de mais de 350 mil empresas no mundo. Além do Brasil, cuja matriz está localizada em Joinville, com escritórios também em Porto Alegre, São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, possui operações em Chicago, nos Estados Unidos, em Amsterdã e Londres, na Europa, e em Tóquio, na Ásia.

As soluções para sincronizar a cadeia de suprimentos da NeoGrid começam desde o nível operacional, como projetos de integração, nos quais os clientes e os fornecedores podem trocar informações. Entre os processos da empresa estão o operacional, o tático e o estratégico. Na camada tática, os varejistas e os distribuidores encaminham para a NeoGrid, diariamente, tudo o que foi vendido, item a item, loja a loja, esta processa essas informações e as entrega, via internet, às indústrias, para que possam acompanhar o que realmente está acontecendo com os produtos no varejo e no distribuidor. Assim, conseguem tomar medidas proativas e preventivas para que o produto esteja na hora e local certos, para serem mais efetivas nas campanhas, promoções e reposições.

Segundo o diretor de Marketing e Produtos da NeoGrid, Ricardo Gonçalves, em entrevista à MundoLogística, a empresa desenvolve soluções que ajudam o varejo, a indústria e o distribuidor a melhor planejarem e reporem a demanda. “Essa é uma plataforma inteligente que, com base na movimentação dos itens dentro da indústria, varejo e distribuidor, consegue verificar o quanto o item venderá, fazendo a projeção futura de venda e a reposição de um determinado item. O objetivo da NeoGrid é ajudar os clientes a reduzir a falta de produtos ou a ruptura, ao mesmo tempo em que reduz os excessos de estoque. Quanto melhor o cliente utilizar esse portfólio, mais ele conseguirá atingir esse objetivo.”

MUNDOLOGÍSTICA: Explique-nos o que é a solução Supply Chain Transformation?
RICARDO GONÇALVES: A solução Supply Chain Transformation realiza a integração do consumo com a reposição, ou seja, sincronizando a produção da indústria com o que está sendo consumido no varejo. Para que a indústria consiga reagir rapidamente ao consumo real dos seus produtos no varejo, toda a cadeia de suprimentos, desde os fornecedores, distribuidores e varejos, precisa mudar as regras de negócio para que consiga ser mais ágil e aproveitar as oportunidades de consumo. Temos uma máxima muito importante e que fundamenta a Supply Chain Transformation: o consumidor final não comprou, ninguém na cadeia vendeu. O que houve foi a transferência de estoques entre indústria, distribuidor e varejo. Se o consumidor final não comprar, o varejo, a indústria ou o distribuidor terá uma perda, por meio de desconto, por exemplo. Esse problema, gerado pela cadeia de suprimentos, impacta a margem tanto do varejo, quanto da indústria e do distribuidor. Essa solução, então, acompanha o comportamento do consumidor e, com base nisso, sincroniza toda a cadeia. Há dois pilares para que isso aconteça: tecnologia e processos. Não adianta implementar a tecnologia e continuar com os processos antigos. É necessária a revisão dos processos, estabelecendo indicadores de performance. A cadeia de suprimentos precisa ser medida pelo global, na qual a indústria e o distribuidor têm de ser uma grande e forte corrente.

Como é o funcionamento dessa solução?
A NeoGrid apresenta o conceito da Supply Chain Transformation para a indústria, faz a análise, com base em dados reais de estoques e vendas, e revisita os processos. Depois, faz as recomendações de mudanças e processos e, a partir daí, parte para a implementação. Nós chamamos esse processo de colaborativo. Para que consigamos realmente sincronizar a cadeia de suprimentos e fazer a sua transformação, é preciso ter a colaboração entre indústria, distribuidor e varejo. Sem essa colaboração, o negócio não funciona.

Como ocorre o alinhamento desde a produção até a reposição dos produtos?
O primeiro passo é mostrar aos players o potencial de ganho que essas empresas têm ao mudar a operação do modelo de empurrar para puxar. Nesse diagnóstico quantitativo, apresentamos os ganhos e o que a indústria, o distribuidor e o varejo estão perdendo de oportunidades por não terem a cadeia alinhada. Fazemos, então, a integração dos sistemas, para que consigam conversar entre si e realizar a reposição, de acordo com o real consumo. Em paralelo à integração dos sistemas, acontece a revisão dos processos em três partes: apresentar aos players da cadeia quais são os ganhos, para fazer a sincronização da cadeia de suprimentos e, na sequência, a revisão dos processos e a implementação da tecnologia.

Qual o papel da Supply Chain Transformation para manter a cadeia de suprimentos sincronizada?
A forma de manter a cadeia de suprimentos sincronizada é garantir que as regras de negócio, que estabelecem a relação entre indústria, distribuidor e varejo, estejam alinhadas com o consumidor final. O que esses players precisam fazer é garantir que todos os indicadores de performance e tudo o que acontece na cadeia sejam direcionados pelo consumo. A indústria, o distribuidor e o varejo acompanham, diariamente, o giro do estoque, verificando os produtos que estão próximos a faltar e os que estão em excesso. Por meio desse acompanhamento, que acontece até mais de uma vez por dia, os estoques são reabastecidos. Em vez de o varejo fazer uma compra mensal, com base, exclusivamente, em uma previsão de demanda, a faz de acordo com o que realmente está sendo consumido no dia. O varejo, por exemplo, estabelece um contrato com uma indústria a preço unitário, conforme os produtos são vendidos, e a indústria supre segundo o consumo.

Quais os benefícios que essa solução proporciona?
Maior disponibilidade de produtos para o consumidor final, por meio da redução da falta e de um melhor mix de produtos. Como a indústria está acompanhando, diariamente, o giro dos produtos, consegue colocá-los com mais frequência no mercado. Aumenta, também, a disponibilidade mediante a redução da falta ou ruptura, por incremento do mix, ao mesmo tempo em que reduz os níveis de inventário, porque é muito comum fazer uma análise e observar que os níveis de inventário estão muito altos, ou seja, está sendo utilizada toda a cadeia de suprimentos para colocar um produto na gôndola que, muitas vezes, o consumidor não tem o desejo de comprar. O varejo e a indústria são obrigados a fazer grandes descontos para tentar escoar aquele produto, o que, em algumas vezes, acaba não tendo sucesso. Com a redução dos níveis de estoque, o benefício imediato é a liberação do fluxo de caixa e de crédito, porque o varejo não está utilizando a verba de compra para adquirir mais produtos que, eventualmente, não giram. Essa solução ajuda a aumentar as vendas e a rentabilidade. O grande causador disso é que a solução Supply Chain Transformation permite que consiga reduzir a ruptura, diminuindo os níveis médios do inventário e aumentando a velocidade de reação ao consumo pelo varejo, distribuidor e indústria.

 





Voltar