14/09/2012

Célere Intralogística conquista mais espaço no mercado nacional

Entrevista com Maria Regina Yazbek

 

 

A Célere iniciou 2012 com um crescimento de mais de 30% no seu faturamento, fruto dos novos contratos conquistados no final de 2011 e primeiro semestre de 2012. Após um ano de mudanças importantes - 2011 foi marcado pela reestruturação da companhia com o retorno ao comando de sua sócia-fundadora, Maria Regina Yazbek – a empresa se preparou para agressivas metas de crescimento estabelecidas para esse ano.

Consolidada como operador logístico especializado em intralogística, a Célere considera-se na vanguarda de um segmento ocupado, em sua maioria, por dois tipos distintos de empresas segundo atuação: grandes operadores logísticos internacionais, que se estruturam no Brasil para atender clientes globais; e transportadoras, incorporadoras e empresas de manutenção industrial que estenderam sua atuação para logística in-house.

A empresa 100% nacional ganhou muito destaque por ser responsável pelas operações de logística nos boxes do Grande Prêmio de Fórmula 1 do Brasil durante anos através de outra empresa do grupo, a Movicarga, ganhando ainda mais destaque no mercado com a criação da Célere em 2005, após investimentos de US$ 2 milhões.

 


Maria Regina Yazbek, Executiva da Célere

Entre os bons frutos de 2012, em janeiro a Célere iniciou a montagem de kits de cartões telefônicos para uma empresa que atua no mercado de impressão de segurança e gerenciamento de serviços de telecomunicações. Em junho, assumiu toda a movimentação interna de uma empresa com unidade em Campinas que atua no segmento de tecnologia de geração e distribuição de energia. Outra conquista da Célere é o contrato para movimentação de celulose da nova planta da Eldorado Brasil em Três Lagoas-MS e no Terminal Hidroviário de Pederneiras-SP. A Eldorado Brasil é uma empresa brasileira que está construindo a maior fábrica de celulose em linha única do mundo. Após sua conclusão, a indústria terá capacidade para produzir 1,5 milhão de toneladas por ano de celulose branqueada.

Essas três contas adicionarão mais de 200 profissionais ao quadro de colaboradores da Célere. Confira a volta de Maria Regina Yazbek ao comando e o que a executiva tem a dizer sobre a empresa que criou.

Como foram os primeiros anos da Célere e quais pilares a sustentaram para vencer os desafios dos primeiros anos de atividade?
Maria Regina Yazbek: A Célere foi a primeira empresa a se posicionar no mercado brasileiro como um operador focado na intralogística. O plano de negócios para a criação da empresa foi baseado em pesquisas de mercado que apontavam os principais pontos de insatisfação dos clientes com seus operadores logísticos. Com isso, o modelo de negócios da Célere foi estruturado em pilares que objetivam resolver esses pontos de insatisfação com: soluções totalmente customizadas para cada cliente, metodologia estruturada com forte investimento em pessoas e tecnologias para gestão de projetos, busca constante pela excelência operacional, e foco incansável em melhoria contínua.

Que novos segmentos a empresa vem explorando para impulsionar sua carteira de clientes e dar novos incrementos em seu faturamento?
Maria Regina Yazbek: Nossa imagem se descolou da Movicarga, apesar de a Movicarga ser um importante parceiro estratégico da Célere. O ano de 2012 vem comprovando que o modo de fazer logística da Célere é atrativo para os tomadores de serviços. No primeiro semestre, conquistamos três importantes contratos, dentre eles o da movimentação interna da maior planta de celulose em uma linha do mundo, a Eldorado Brasil, que está sendo construída em Três Lagoas–MS. Também iniciamos o segundo semestre com novas conquistas que serão divulgadas em momento oportuno. Atualmente, nossa carteira de clientes está diversificada em vários segmentos. Além de papel e celulose, temos clientes nos segmentos químico, petroquímico, automotivo, máquinas e equipamentos, e bens de capital.

De que maneira a reestruturação mudou a empresa?
Maria Regina Yazbek: Após alguns anos atuando apenas no conselho da empresa, decidi, em 2011, retornar à gestão da Célere para, pessoalmente, implantar algumas mudanças e ajustes que entendia serem fundamentais para preparar a empresa para um novo patamar de crescimento. Fizemos uma ampla revisão de todas as áreas e processos, e remodelamos a empresa em duas grande áreas: Negócios e Operações, que atuam em total sinergia. Os resultados que começamos a colher já no início de 2011, nos dão a confiança de que estamos no caminho certo.

Quais são as perspectivas da empresa para os próximos anos, a partir dessa reestruturação e também com sua volta ao comando?
Maria Regina Yazbek: Estou muito otimista com o futuro da Célere, que foi um projeto pessoal e pelo qual tenho um grande carinho. Acredito que estamos em um bom momento e temos sido requisitados pelo mercado, que, cada vez mais, diferencia as empresas pelos serviços oferecidos, e não apenas pelo preço. No ritmo em que estamos, são grandes as chances de iniciar 2013 com o dobro de tamanho do início de 2012, tanto em termos de pessoal quanto de faturamento.

A Célere pretende ser, em 2015, reconhecida como a melhor empresa de intralogística do mercado. Que diretrizes levariam a empresa a ser reconhecida como tal?
Maria Regina Yazbek: Digo para meus funcionários que a razão de existirmos é “servir”, e esse é o norte que eu tracei para a minha empresa. Tenho consciência da responsabilidade que é trabalhar dentro da “casa” do cliente. A intralogística é muito diferente do transporte, por exemplo. Quando algum problema ocorre com o transporte, o operador tem tempo para reagir. O problema chega para o cliente já com a solução. No caso da intralogística, não é raro o cliente saber do problema no minuto em que ele ocorre. O comprometimento do operador tem que ser diferenciado. A Célere busca essa diferenciação.

A Célere mantém acordos com empresas no exterior ou no Brasil para ampliar seus resultados?
Maria Regina Yazbek: Não temos parcerias específicas, mas sempre buscamos a solução que entendemos ser a mais apropriada para cada projeto de cada cliente.

Voltar