ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha

 




Uso de RFID é expandido pelos Correios em parceria com a GS1 Brasil

Publicado em 05/09/2018

Tecnologia de radiofrequência permite gerenciamento de mercadorias por meio da transmissão de dados

RFID radiofrequência correios

O uso de radiofrequência (RFID, sigla em inglês para radio frequency identification) será expandido pelos Correios no fluxo postal brasileiro. Apoiada pela União Postal Universal, da Organização das Nações Unidas (ONU), a iniciativa compõe a terceira etapa do projeto QMS (Quality Monitoring System, ou Sistema de Monitoramento de Qualidade), que tem como objetivo aumentar o número de portais RFID no Brasil de 350 para 2,3 mil para melhorar o gerenciamento e a segurança dos itens transportados.

A tecnologia de radiofrequência permite a identificação dos objetos por meio da transmissão de dados, que são armazenados em etiquetas compostas por um chip interno conhecido como tag. De acordo com os Correios, os objetos e envelopes poderão ser rastreados e identificados sem manuseio direto, e sim pelos sinais de radiofrequência emitidos pela RFID. O processamento de cada pacote poderá ser realizado individualmente ou por lotes.

A “Associação Brasileira de Automação – GS1 Brasil” foi escolhida para auxiliar na expansão, já que a tecnologia utilizada é baseada no padrão EPC/RFID GS1. Até 2021, o QMS deve envolver aproximadamente 200 unidades dos Correios – atualmente, os 350 portais da empresa estão distribuídos entre 19 unidades operacionais.

Desde 2017, os Correios e a GS1 Brasil têm trabalhado em conjunto para identificar as demandas de automação e os padrões adequados para o projeto. Segundo o executivo de negócios da GS1, Ricardo Melo, a implantação vai trazer melhorias para os processos postais como um todo. “As informações serão coletadas e tratadas em tempo real e com mais precisão no sistema dos Correios, ampliando a agilidade e a segurança dos dados”, diz.

 

Veja também: