ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Promo Livro

 

Categorias

 

e-Galpão

 

Promo Livro


Uso de isotanques e flexitanques tem alta demanda no Brasil

Publicado em 02/06/2017

Utilização cresceu 18% entre os clientes da Allog International Transport no ano passado; para 2017, crescimento pode ficar entre 20% e 30%

A Allog International Transport anunciou que o uso de istoquantes e flexitanques cresceu 18% entre os clientes da empresa em 2016. A previsão é que a alta fique entre 20% e 30% neste ano. De acordo com a Drewry Maritime Research, a demanda de contêineres tanques aumenta em um múltiplo de 1,5 vezes a taxa de crescimento do PIB dos países emergentes.

Destinado prioritariamente a produtos químicos, gases e líquidos em geral, o isotanque é seguro e prático para o transporte doméstico, internacional ou armazenamento de cargas. O analista de produto da Allog, Rodrigo Portes, explica que o sistema isotanque traz diferentes benefícios para a logística. “O próprio isotanque pode ser levado até a unidade para coleta do produto, não sendo necessário utilizar um veículo para isso, evitando assim custos com transbordo. Funciona também como ótimo recurso para armazenagem”, destaca.

Existem diversos padrões de isotanque no mercado, sendo alguns destinados apenas ao transporte de cargas alimentícias e outros para transporte de cargas químicas e perigosas. Rodrigo explica que a vantagem da utilização deste tipo de equipamento é garantir a segurança durante todo o transporte (ponta a ponta), assegurando que o produto não sofra interferências na qualidade, preservando assim a integridade do mesmo.

Já o flexitanque, além de oferecer segurança e baixo custo, é ecologicamente correto – a depois de utilizado, é descartado com orientação dos órgãos regulamentadores. Fácil de armazenar, não ocupa muito espaço e tem maior capacidade de carga se comparado a tambores.

Frota
De acordo com a Drewry Maritime Research, os contentores secos (standard e especiais) correspondem a 93% do volume total no mundo, reduzida em 2012 para 89% da frota mundial. Outros 7% estão divididos entre recipientes reefers isolados e tanques. Reefers compõem aproximadamente 6.25% da frota global. Tanques para o transporte de vários líquidos ocupam os restantes 0,75%.

 

Veja também: