ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
TOTVS

 

Logística para e-commerce


Especialista dá dicas para evitar incêndios em galpões logísticos

Publicado em 23/04/2018

Com as orientações, empresários podem ter informações técnicas para preservar estruturas corporativas no setor

Os recentes casos de incêndio em galpões logísticos levantam uma importante questão sobre o assunto: Por qual motivo esses locais, que normalmente atendem a legislação de incêndio, têm sofrido com incêndios de grandes proporções?

O especialista Marcelo Lima, diretor geral do ISB (Instituto Sprinkler Brasil) aponta três pontos essenciais para que a preservação de galpões de logística seja mais efetiva em eventuais focos de incêndio:

  1. Instalação de sprinklers (chuveiros automáticos)

Em casos de princípios de incêndio, a utilização adequada de sprinklers pode garantir mais segurança física, patrimonial e financeira. Por ser acionado de forma automática em um incêndio, evita ou minimiza os prejuízos e diminui de forma significativa o risco de morte.

“Estudos internacionais revelam que a taxa de mortalidade em eventos deste tipo é 87% inferior quando as instalações afetadas contam com sistemas de sprinklers”, revela Marcelo.

  1. Realizar inspeção e manutenção periódica

A inspeção e a manutenção periódica são necessárias porque indicam as condições reais de funcionamento do sistema de proteção contra incêndio e podem apontar, em tempo, eventuais falhas existentes, evitando a “falsa sensação de segurança” de quem pode vir a precisar dele. 

“É muito comum o proprietário ou a administradora instalar o Sistema de Proteção Contra Incêndio nos galpões e depois não cuidar dele. O principal problema nos grandes incêndios vem da falta de manutenção e isso é um desperdício de investimento”, explica Lima.

  1. Ficar atento às mudanças que acontecem nos depósitos

O Sistema de Prevenção Contra Incêndio em um galpão é determinado por meio da carga de incêndio – ou seja, com base em tudo o que tem potencial de queimar no local. Portanto, sempre que acontecerem alterações como, por exemplo, diversificação do tipo de produto, quantidade armazenada, assim como o aumento da altura das prateleiras para estocagem, entre outras questões, é necessário que o sistema seja readequado.

“O correto é que locais que armazenam produtos de diversas categorias devem ter seu Sistema de Prevenção Contra Incêndio projetado para a maior carga de incêndio”, declara o especialista.

 

Veja também: