ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
TOTVS

 

Logística para e-commerce


Elas fazem acontecer

Publicado em 13/03/2018

O que impede as mulheres de estarem alcançando altos cargos dentro das corporações? Existem somente limitações externas ou as internas também existem? Qual o papel da sociedade nisso tudo? É possível conciliar a vida pessoal com a profissional?

Josie Peressinoto Rometo é vice-presidente de Operações e Logística da Natura. Ela é formada em Engenharia de Alimentos pela Universidade de Campinas.

O desejo pela profissão veio de curiosidade pelos mais diversos temas. “Eu sempre fui uma criança curiosa, daquelas que liam todos os rótulos de alimentos”, diz ela. Josie iniciou a carreira na Unilever como trainee e com 24 anos já atuava como gestora. “O mais interessante é que eu era a única mulher naquela área de fábrica e todos os meus colaboradores eram homens com mais de 10 anos de empresa.”

Ela comenta que o principal desafio dela nesse período foi a falta de uma referência feminina no setor, alguém em quem ela pudesse se inspirar, ver que de fato era possível ser completa, tanto do ponto de vista profissional quanto pessoal. “Todas as minhas referências eram masculinas e as pouquíssimas referências femininas que eu tinha haviam abdicado da maternidade e eu não queria isso para mim.”

Sobre os aprendizados que ela adquiriu nesse período, Josie destaca a questão de não se limitar. “Eu sempre pensava que mesmo se uma vaga aparecesse e ninguém me a oferecesse, eu iria dizer ‘eu quero’, eu iria sentar na frente do gestor e dizer ‘me dá essa oportunidade, deixa eu fazer isso!’.” Para a VP, ter esse tipo de posicionamento de “eu quero, eu posso” é um dos maiores desafios para as mulheres da atualidade. Segundo ela, as mulheres, quando pequenas, não são incentivadas “a se jogar” e, por isso, acabam se tornando mais inseguras que os homens.

Josie completa dizendo que o as maiores dificuldades que ela enfrentou ao longo de sua carreira não foram externas (preconceitos, barreiras impostas, etc.), mas criadas por ela mesmo: medo de não conseguir, medo das mudanças. Para as mulheres que desejam ser bem sucedidas na carreira e na vida pessoal: “Se você tem vontade, se você confia em você, você vai adiante, não coloque barreiras diante de você [...] você nunca vai ser perfeita, você nunca vai fazer todos os papeis bem, você tem que saber que você está fazendo o seu melhor [...] muitas mulheres não chegam aonde elas podem chegar porque colocam essa questão de ‘eu tenho que ser perfeita’, ‘eu tenho que fazer tudo bem’ e ‘eu não estou fazendo bem então eu  não mereço fazer tudo isso’.”

 

Veja também: