ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Assinatura

 

Categorias

 

e-Galpão

 




Buonny inaugura filial em Santiago, no Chile

Publicado em 21/09/2018

Com nova unidade, a gerenciadora de riscos em transportes busca ampliar a presença na América Latina

Buonny inaugura filial em Santiago, no Chile

A Buonny Projetos e Serviços de Riscos Securitários, empresa gerenciamento de riscos na área de transportes e logística, acaba de inaugurar a filial Chile. A unidade fica em Santiago e foi idealizada em uma posição estratégica, contemplando uma ponte para o escoamento da produção da América do Sul que precisa chegar até o Oceano Pacífico e seguir para o mercado asiático.

Além disso, 95% do transporte de cargas chileno é rodoviário, o que demonstra a importância de uma logística monitorada e com mais segurança, por meio do conceito pioneiro de inteligência embarcada no país.

Cyro Buonavoglia, presidente do Grupo Buonny, explica que o percurso de uma carga que sai do Brasil até o porto do Chile leva, em média, cinco dias de viagem. Em um mês, são realizados mais de 30 mil embarques vindos do sudeste do Brasil; já pelas fronteiras, são mais de 800 mil embarques por ano e, considerando as viagens nacionais, ultrapassam 1,2 milhão mensais. “Diante desse cenário nessa rota, vimos que era necessário expandir as operações e oferecer modernas ferramentas e planos de gestão logística e prevenção de riscos no transporte de cargas”, enfatiza o presidente.

René Ellis, profissional chileno chilena e com longa experiência no mercado de transportes no país, será o executivo responsável pela nova filial.         O cenário de roubo de cargas mudou muito no Chile, desde 2015, com o aumento desse tipo de sinistro. Por isso, precisávamos de toda a expertise da Buonny para possibilitar a eficiência da gestão logística das cargas que saem do Brasil para o Chile, além das que também chegam pelo Pacífico e precisam ser distribuídas no território brasileiro  , diz.

Entre as cargas transportadas, estão alimentos, grãos, pescados, frutas, vinhos, pecuária, eletrônicos e cobre bruto, que são de alto valor agregado. “O Chile precisava de uma logística integrada eficiente e inovadora, pois traz segurança para as cargas que passam pela região. Assim, podemos oferecer, ao mercado chileno, além de outros países latino-americanos, uma excelente performance logística, maior segurança, desempenho e produtividade”, diz Buonavoglia.

 

Veja também: