ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha

Intelbras
 

 




Brasil deve continuar a investir em sua infraestrutura de logística

Publicado em 01/09/2016

Embora o Brasil tenha crescido dez posições na logística de classificação do Banco Mundial, saltando na classificação de 65º para 55º, entre 160 países, a subsidiária local da empresa de logística global Dachser vê a necessidade de mais investimentos em infraestrutura e processos, para acompanhar as necessidades de eficiência em cadeias globais de abastecimento.

O Banco Mundial lançou, recentemente, a edição 2016 de seu relatório bienal de logística, com destaque para o Brasil como um dos principais ganhadores. O Brasil avançou nas categorias “alfândega” por 32 posições (62ª), “infraestrutura” em sete posições (47º) e “embarques internacionais” por nove posições(72º). A Alemanha liderou o ranking pela segunda vez consecutiva.

A Dachser Brasil acompanha a notícia positiva e avalia que o País deve, agora, continuar a investir em sua infraestrutura logística. “Melhorias nas alfândegas e infraestrutura são de extrema importância para manter o ritmo para a competição internacional. A Dachser, como um provedor logístico integrado, com presença em todo o mundo, precisa de condições ideais para fornecer soluções logísticas sob medida, que satisfaçam às necessidades e exigências do mercado. Sem a infraestrutura e processos corretos, nós não seremos capazes de otimizar as cadeias de Supply Chain de nossos clientes. A Copa do Mundo FIFA™ 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, ajudaram a desenvolver a infraestrutura do País, mas ainda há espaço para melhorias”, explica o managing director da Dachser Brasil, Angel Santana.

Reduzir custos e melhorar a eficiência
O Brasil também foi citado no relatório do Banco Mundial como um dos países atentos para as reduções de custos e crescimento de eficiência. Essas pesquisas tentam estimar os gastos de logística na produção e comércio, além de quebrar os custos operacionais dos prestadores de serviços.

“As empresas brasileiras se esforçam para aumentar a eficiência e realizar economias de custo. Suas cadeias de fornecimento são elementos-chaves, a fim de alcançar esses objetivos. É aí que entramos no processo”, afirma Santana.

A missão global da Dachser é criar a combinação mais inteligente do mundo e a integração de serviços de rede de logística. “Com as sinergias de nossas três redes: aéreo, marítimo e terrestre, na Europa, e as suas ofertas de serviços, somos capazes de otimizar o balancete dos nosso clientes de logística”, completa Santana.

 

Veja também: