ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Assinatura

 

Categorias

 

e-Galpão

 




Ampliando atuação, Sotran prevê embarcar mais de 430 mil caminhões este ano

Publicado em 27/02/2019

A Sotran Logística, de Londrina, no Paraná, prevê embarcar mais de 430 mil caminhões ao longo de 2019. A previsão tem relação direta com os investimentos realizados pela companhia nos últimos dois anos, como o lançamento do aplicativo TMov e a ampliação da área de atuação no País. A Sotran começou o ano operando em 170 filiais, que estão espalhadas por todos os 14 estados brasileiros que se destacam na produção de grãos, entre eles os do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e os da região do MaToPiBa.

Os carregamentos vão acontecer em 750 pontos diferentes do País, segundo Rosler Dallamaria, diretor de Novos Negócios da Sotran. Desde 2017, a empresa tem colocado em ação seu plano de expansão e começa agora o processo de consolidação dessas novas áreas de atuação.

Com forte atuação no segmento de agronegócio, o crescimento da companhia se observa entre outros pontos pelo volume carregado na cadeia logística do setor. A soja e seus derivados são os produtos mais embarcados pela Sotran.

Entre os investimentos, o desenvolvimento e lançamento da plataforma TMov também tem impulsionado diretamente os negócios. O aplicativo, que faz parte da plataforma, recebeu recursos na ordem de R$ 5 milhões e tem contribuído para a transformação tecnológica da Sotran e do segmento de logística multimodal do agronegócio ao conectar caminhoneiros às cargas de maneira automatizada. “Entendemos que a tecnologia aumenta a produtividade dos clientes, amplia a eficiência dos motoristas e frotistas e diminui o custo da cadeia”, pontua Dallamaria.

O diretor de Novos Negócios da companhia reforça que os investimentos em tecnologia profissionalizam a criação de processos que refletem diretamente no atendimento aos clientes e redução de custos operacionais. Dallamaria lembra que hoje o Brasil tem um mercado de frete que movimenta perto de R$ 130 bilhões e quanto mais tecnologia, mais eficiente fica o processo. “Nosso foco com os investimentos que estão sendo realizados desde 2017 é buscar eficiência nos nossos serviços”.

 

 

Veja também: