ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha

 

Livros


Aliança estima alta de 3% a 5% na cabotagem em 2017

Ampliação do serviço na região Norte é apontada como uma das causas que impulsionaram o segmento no ano passado

Apesar do momento de recessão econômica, a Aliança Navegação e Logística está confiante com o próprio desempenho neste ano. A empresa, uma das mais importantes do segmento de cabotagem no país, espera crescer entre 3% e 5% em 2017. No ano passado, a Aliança registrou um crescimento de 7% na cabotagem, contabilizando 210 mil contêineres movimentados – 15 mil a mais que no ano anterior.

O gerente geral de Mercosul e Cabotagem da Aliança, Marcus Voloch, declara que um dos destaques foi a ampliação da oferta de serviços no Pará  a partir de investimentos realizados em Vila do Conde, que conta atualmente com uma escala semanal. “Em maio deste ano completaremos dois anos de operação no Pará. Atualmente, oferecemos serviços porta a porta para praticamente todos os municípios, utilizando a multimodalidade. O mesmo modelo é replicado para o Amapá, onde os clientes contam com atendimento e níveis de serviço personalizados”, afirma. Segundo Voloch, os setores que mais cresceram foram os de alimentos, químicos e resinas, produtos de limpeza, papelaria, embalagens e material de construção.

De acordo com Otávio Cabral, gerente da Aliança em Manaus, a empresa opera por semana cerca de 280 TEUs (equivalência a um contêiner de 20 pés) no porto de Vila do Conde, sendo que ainda há um potencial a ser explorado. “Temos uma grande vocação para a cabotagem com o Rio Amazonas, nosso ‘Rio Mar’, com seus quase sete mil km de extensão, dos quais 3.165 km estão em território brasileiro”, destaca.

Benefícios
Além da redução de custos em relação ao transporte rodoviário (de 10% a 15%), a cabotagem une rapidez e economia por meio de um planejamento de operações multimodais, resultando em um meio de transporte sustentável, com baixa emissão de CO2.
Hoje, a Aliança dispõe de equipes que cobrem boa parte do território nacional, assim como sistemas desenvolvidos sob medida para as particularidades da cabotagem que integram todas as peças da cadeia do transporte multimodal.

Cerca de 70% de todo o volume transportado pela Aliança é na modalidade “porta”, ou seja, a empresa gerencia o fluxo de transporte desde a fábrica do embarcador até a entrega ao destinatário final. O índice de pontualidade nessas entregas e coletas supera os 95%, na média nacional. Para quem utiliza o transporte marítimo, outras vantagens são a rastreabilidade em qualquer ponto, a integração dos modais para otimização da cadeia logística e menor índice de avarias.

 

Veja também: