ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Redução de Custos Logísticos

 

Landing transpoBrasil - Dicas Gestão Frete


Acordo aduaneiro global pretende simplificar o comércio exterior

Expectativa é aumentar o fluxo mundial de mercadorias e serviços em até US$ 1 trilhão

Visando facilitar as transações para o comércio exterior, 110 países assinaram o Acordo de Facilitação do Comércio (TFA, Trade Facilitation Agreement, em inglês) para elevar os padrões de processamento alfandegário e promover agilidade e eficiência nas exportações. No Brasil, 72º país a aderir ao acordo, o plano é implementar a proposta por meio do Portal Único do Comércio Exterior e de próprios players como a UPS, que têm o certificado de Operadores Econômicos Autorizados (OEAs).

O presidente e CEO da UPS, David Abney, destacou que o acordo torna as empresas mais competitivas e promove crescimento no setor. "Ao criar regras mais inteligentes que simplificam o modo como as mercadorias atravessam as fronteiras, este acordo irá dinamizar o fluxo de comércio para atender às necessidades da economia do século XXI", disse. Com o TFA, a expectativa é que o fluxo de mercadorias e serviços ultrapasse os US$ 1 trilhão.

A partir da implementação do tratado, pequenas e grandes empresas terão melhor acesso a novos mercados. O acordo deverá reduzir o custo do comércio em 14% e diminuir significativamente os prazos de entrega com regras harmonizadas que serão aplicadas a mais de 90% dos consumidores mundiais. Além disso, o TFA inclui o processamento digital de dados de embarque e processos mais efetivos de acessos de segurança que facilitarão as exportações.

O executivo da UPS ressaltou que os clientes da empresa procuram se conectar com mercados de todo o mundo. "O TFA significa uma simplificação dos processos fronteiriços e um melhor acesso aos mercados externos, o que ajudará as empresas, particularmente as pequenas e médias empresas, a expandir-se na era do e-commerce", acrescentou Abney.

A UPS continuará trabalhando com parceiros nos setores público e privado para ir ao encontro das principais disposições do TFA. O foco será nos países em desenvolvimento, que exigem maior investimento em infraestrutura aduaneira para alcançar os padrões mais elevados do acordo.

 

Veja também: