ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha

 

Grupo Laguna investe em desenvolvimento sustentável para condomínios logísticos

Diretor da empresa conversou com a MundoLogística sobre empreendimento em São Carlos e planos do grupo para os próximos anos

Por Christian Presa | Redação MundoLogística

A aderência a condomínios logísticos está cada vez maior no Brasil. Segundo dados levantados pela Colliers International Brasil, publicados pela MundoLogística, a absorção bruta dos empreendimentos cresceu 31% no último trimestre. No total, o inventário do Brasil incorpora mais de 13 milhões de m².

O Grupo Laguna é uma das empresas que atua nesse segmento. Desde 1996, eles atuam em vários ramos do mercado imobiliário nacional com empresas de construção, propriedades e administração. Com a alta dos condomínios logísticos no país, a demanda de trabalho, operações e desenvolvimento do grupo também cresce.

A Revista MundoLogística conversou com o diretor de incorporação da Laguna, André Marin, sobre o assunto. Na entrevista, ele falou sobre o empreendimento da empresa em São Carlos, as atitudes e reconhecimentos de sustentabilidade da Laguna e os planos do grupo para os próximos anos.

MUNDOLOGÍSTICA: O mercado de condomínios logísticos está crescendo muito no Brasil. Quais as vantagens que uma empresa tem ao usar um condomínio logístico?
ANDRÉ MARIN: O fato de uma empresa não possuir uma edificação própria e, consequentemente, não ter que arcar com seus custos de renovação e manutenção já se torna uma das principais vantagens em alugar um galpão logístico. Mas pode-se elencar outras como a maior flexibilidade em suas operações, podendo aumentar ou diminuir a área de armazenamento com facilidade; a escolha da melhor localização para se instalar, próxima a grandes centros urbanos, rodovias com boa infraestrutura, portos e aeroportos; o rateio de custos com manutenção, limpeza, portaria e segurança, diminuindo assim o custo da operação; e a redução nos recursos necessários ao Capex, liberando mais capital para outras necessidades da empresa.

A Laguna possui hoje o Condomínio São Carlos. Pode nos contar um pouco mais sobre ele?
O Condomínio Logístico São Carlos é um empreendimento com mais de 80.000 m² de área construída, localizado na rodovia SP 318 (km 245), na cidade de São Carlos no interior de São Paulo. O projeto foi faseado, tendo sua primeira fase entregue em 2009, a segunda em 2012 e a terceira em 2016, sendo considerado um dos galpões logísticos mais modernos do Brasil. Dentre os diversos atributos, destaca-se o pé direito com 12m, piso com capacidade para seis toneladas, sistema de prevenção e combate a incêndio com sprinklers e hidrantes, e ainda conta com certificação LEED Core & Shell. Além disso, o condomínio possui estacionamento para carros e caminhões, portaria 24h com monitoramento por CFTV, medição individual de energia, refeitório e vestiários coletivos para funcionários, serviços de limpeza, e manutenção predial, áreas de apoio e manutenção de equipamentos, estrutura em concreto pré-moldado, iluminação lâmpada LED, cobertura em estrutura e telha metálica, vão livre entre pilares de 25m (facilita layout dos ocupantes), docas para operação sider ou baú.

A estrutura desse condomínio é indicada para qualquer operação ou existe algum segmento que seja mais ou menos adequado?
O condomínio está preparado para receber praticamente todos os tipos de operação que envolva logística e armazenamento, devido a suas instalações modernas e eficientes. Mas há alguns segmentos que necessitariam de intervenções como, por exemplo, operações alimentícias que envolvam galpões refrigerados ou qualquer tipo de fabricação de produtos.

Em meio às discussões sobre os cuidados com o meio ambiente, vocês conquistaram o Selo Verde LEED e desenvolveram o Condomínio Logístico São Carlos com práticas de sustentabilidade. Pode nos contar mais sobre essa questão?
O Brasil se tornou um dos principais países na busca pela certificação LEED e a Laguna sempre seguiu essa prática, buscando desenvolver empreendimentos que tenham preocupação com a sustentabilidade, tanto nos condomínios logísticos como nos projetos imobiliários. Por isso recorremos à certificação LEED Core & Shell para o condomínio São Carlos, a qual atingiu níveis de excelência em relação à eficiência energética da edificação, uso eficiente de água, baixa emissão de gases poluentes, racionamento no uso de materiais e recursos regionais, qualidade do ambiente interno e inovação.

Um dos diferenciais que vocês explicitam sobre o condomínio é a infraestrutura. Quais os resultados gerados para os clientes que hoje já estão utilizando o condomínio?
Hoje possuímos um dos menores custos de condomínio entre galpões logísticos certificados. Esse é um resultado tangível e direto para nossos clientes, pois através de um custo competitivo, o condomínio proporciona aos seus usuários diversos itens de infraestrutura como segurança, portaria 24 horas, área de vivência e refeitório, pátio de manobra e estacionamento para carros.

Quais os planos de vocês para os próximos anos? Há expectativa de construção de mais condomínios em outros lugares do país?
Estamos otimistas com a recuperação econômica do país a partir do 2º semestre deste ano e iniciaremos o desenvolvimento de novos projetos de galpões logísticos.  Apesar da vacância nos principais centros do país (SP e RJ) ainda não ter mostrado sinais claros de redução, acreditamos que há demanda por galpões bem localizados, sustentáveis e eficientes, principalmente por empresas que desejam se mudar para edificações mais modernas, movimento de mercado conhecido como “flight to quality”. No momento, prospectamos novos projetos nos estados onde já atuamos (Paraná e São Paulo), contudo não descartamos estudar outras regiões que estejam estrategicamente bem posicionadas para transporte e logística.

Livros

 

Veja também: