ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha

 




Supply Chain como Fonte de Vantagem Competitiva

Estamos vivenciando um ambiente político, econômico e de negócios instável, dotações orçamentárias limitadas e recursos escassos, porém a exigência de retornos robustos permanece com isso, as pressões aumentam exponencialmente, fazendo do sucesso do Supply Chain algo mais desejado do que nunca.

Apesar de ser um conceito em evolução, cuja utilização ainda se restringe a um conjunto de empresas mais avançadas, o Supply Chain Management já está na agenda da maioria dos gerentes das grandes empresas internacionais, artigos na mídia especializada, estão anunciando o Supply Chain Management como a nova fonte de vantagens competitivas.

Considerando os enormes benefícios que podem ser obtidos com a correta utilização do conceito de Supply Chain Management, surpreende verificar que tão poucas empresas o tenham implementado. 

Uma razão deriva da relativa novidade do conceito, ainda em formação e pouco difundido entre os profissionais e a segunda com a complexidade e dificuldade de implementação do conceito. Supply Chain Management é uma abordagem que exige mudanças profundas em práticas arraigadas, tanto a nível dos procedimentos internos, quanto a nível externo, no que diz respeito ao relacionamento entre os diversos participantes da cadeia.

Em detrimento de uma visão sistêmica onde o resultado do conjunto é mais importante que o resultado das partes, suplantar esta cultura arraigada e convencer os gerentes de que deverão estar preparados para sacrificar seus objetivos funcionais individuais em benefício do conjunto, tem se mostrado uma tarefa desafiante. Alcançá-la implica em abandonar o gerenciamento de funções individuais e buscar a integração das atividades através da estruturação de processos-chave na cadeia de suprimentos.

Dentre os processos de negócios considerados chave para o sucesso de implementação do Supply Chain Management, os 7 mais em voga são os seguintes:

  1. Desenvolver equipes focadas nos clientes estratégicos, que busquem um entendimento comum sobre características de produtos e serviços, a fim de torna-los atrativos para aquela classe de clientes.
  2. Fornecer um ponto de contato único para todos os clientes, atendendo de forma eficiente a suas consultas e requisições;
  3. Captar, compilar e continuamente atualizar dados de demanda, com o objetivo de equilibrar a oferta com a demanda;
  4. Atender aos pedidos dos clientes sem erros e dentro do prazo de entrega combinado;
  5. Desenvolver sistemas flexíveis de produção que sejam capazes de responder rapidamente às mudanças nas condições do mercado;
  6. Gerenciar relações de parceria com fornecedores para garantir respostas rápidas e a contínua melhoria de desempenho;
  7. Buscar o mais cedo possível o envolvimento dos fornecedores no desenvolvimento de novos produtos.

Dos profissionais de Supply Chain atualmente se espera não apenas um controle mais eficaz da sua área de atuação, como, também, a capacidade de proporcionar rapidamente resultados significativos que beneficiem a organização como um todo.

Por esta razão, os profissionais de Supply Chain não são mais deixados para segundo plano nas companhias, eles estão no epicentro da estratégia das corporações e o impacto do seu trabalho é visível imediatamente, tanto para os clientes, como para os colaboradores, fornecedores e acionistas.

De acordo com estudos realizados por consultorias renomadas, entre as companhias que tiveram problemas com Supply Chain, a maioria sofreu significativa queda nos preços de seus produtos e com tais desafios em suas mãos, os profissionais de Supply Chain precisam ser incansáveis na busca pelo conhecimento que pode guiar suas atividades e, obviamente, sua empresa aos resultados esperados.

É imperioso trabalhar com agilidade, devem olhar suas próprias operações tão bem quanto aquelas de fora de suas companhias para conseguir a inovação, conseguir um diferencial positivo, deste modo, estarão trabalhando sempre com as melhores práticas e tecnologias.

Em alguns casos, isto pode significar olhar não somente para o que fazem os concorrentes, mas, também, para negócios de indústrias inteiramente diferentes do seu ramo, esta busca é necessária porque a maioria das empresas já têm extraído bons resultados dos esforços tradicionais do Supply Chain.

Sandro Reis

Por Sandro Reis

Coordenador dos programas de MBA Executivo em Procurement, Gestão de Contratos e Supply Chain Management no Instituto A Vez do Mestre e na Universidade Veiga de Almeida, especialista em oratória profissional, professor e palestrante do Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças, Instituto Nacional dos Executivos de Suprimentos, membro da Comissão de Logística do CRA-RJ, profissional com vasta experiência em gestão de negócios, trajetória de 20 anos em gestão e profissionalização das áreas de Suprimentos e Contratos em empresas de grande porte – Vale S/A, White Martins, Icatu Seguros e Comitê Olímpico 2016.