ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha

 

Assine Black Friday


Como mapear e analisar o seu fluxo logístico?

 

As empresas cada vez mais se empenham em mapear e analisar o seu fluxo logístico para alcançar resultados significativos em melhora da produtividade, otimização dos recursos e redução dos custos. Nada mais natural, haja vista o entendimento de que obter esses três atributos no processo produtivo é uma das formas mais importantes de se manter uma organização competitiva.

Quando se trata de logística, essa abordagem é particularmente complexa. Na medida em que o escopo é amplo, abrangendo desde a prospecção de matéria-prima e suprimentos à distribuição e entrega, passando pelos processos de armazenagem, estoque, produção e transporte.

É impensável obter resultados satisfatórios sem que a empresa tenha uma visão abrangente de todos esses processos, o que faz o mapeamento dos mesmos ser um passo inevitável para que o fluxo logístico seja moldado de forma satisfatória.

Etapas
Para a compreensão desse processo, que visa ganhos de performance da atividade produtiva, é interessante observar quais são as quatro etapas que devem ser seguidas para mapear um fluxo logístico e melhorá-lo.

1. Mapeamento dos processos atuais
Essa é a fase em que é feito o levantamento de todas as etapas do processo. O objetivo é a obtenção de uma visão geral e inter-relacional entre os vários elementos e etapas.

Respostas a perguntas como “o que é feito”, “por quem é feito” e “com que frequência é feito” estarão salientadas, assim como os recursos envolvidos em cada etapa da operação, o tempo que se leva para o cumprimento de cada tarefa, os custos envolvidos com cada etapa e a forma como se estabelece o fluxo, a qualidade e a disponibilidade da informação.

Para se chegar a essas informações há um longo caminho, que prevê a utilização de recursos como questionários, observações de campo, análise de documentações, reuniões de grupos e outras técnicas, com muito cruzamento de informações vindas de abordagens distintas, a fim de reduzir a margem de erro nos relatórios finais que serão apresentados.

Nessa fase é escolhida também a ferramenta tecnológica que será usada para a apresentação.

2. Desenho dos processos atuais
Nessa fase todas as informações são agrupadas de modo a constituir um sistema lógico e sequencial, na forma de fluxogramas.

Em seguida, esse desenho deve ser submetido aos responsáveis pelos respectivos processos, para que possam ser validados ou passar pelos ajustes necessários.

3. Identificação de oportunidades
Com o mapa pronto, são identificadas as possibilidades de melhoria, que são marcadas no mapa. Ferramentas como Matriz GUT e Matriz BASICO podem ser utilizadas para ajudar no desenvolvimento dos planos de ação.

4. Redesenho dos processos
Identificadas as oportunidades e os meios para transformá-las em soluções e melhorias, um novo desenho é feito, mostrando como os processos ficarão após as mudanças propostas, apontando os benefícios esperados com a sua adoção.

Benefícios do mapeamento
Numa abordagem mais detalhada dos benefícios trazidos pelo mapeamento e pelo redesenho do fluxo logístico, é possível citar uma série de ganhos.

A visualização do sistema logístico completo, abrangendo o fluxo de materiais e informação permite, antes de tudo, uma compreensão e uma visão ampla sobre os processos. Mais que isso: passa a ser uma informação valiosa, parte do sistema de controle e base para ajustes futuros.

Um dos principais ganhos que podem advir desse processo é a melhora do fluxo de informações. Grande parte do sucesso do fluxo logístico é decorrente da informação, seja da qualidade, seja da disponibilidade, seja do fluxo. É fundamental que em uma estrutura logística a visão seja única para todos os envolvidos, o que implica na necessidade de identificar onde estão as falhas no processo de comunicação e encontrar soluções para as mesmas.

É possível, através do mapeamento, encontrar focos de desperdício, seja de materiais, seja de tempo, seja de recursos humanos, o que traz como resultado a oportunidade de otimizar a utilização desses recursos, aumentando a produtividade e/ou reduzindo custos.

Sua atual operadora tem feito o mapeamento do fluxo logístico?
Os ganhos que podem ser obtidos a partir do mapeamento do fluxo logístico são diversos, dependendo dos problemas apresentados e da natureza da empresa.

O importante é que esse mapeamento precisa ser feito. Mais que isso: é fundamental que seja feito com qualidade, por profissionais experientes e competentes.

Se a sua operadora é a Apoio Logística, você está em boas mãos. A competência da Apoio é comprovada no planejamento e execução de projetos de logística.

Osmar Vinci Filho

Por Osmar Vinci Filho

Executivo de vendas na Grupo Enar - Apoio Logistica e Serviços Ltda

 

Veja também: