ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Kalmar

 

Assine Noticia


Milk Run: Conceitos, vantagens e ganhos para a operação logística

Diante da crescente competitividade no mundo dos negócios, a gestão logística se reinventa e busca inovações como fator chave para sobrevivência e crescimento das organizações. Uma corrida em busca por soluções que tragam eficiência somada à redução de custos.

O Sistema Milk Run nasce dessa necessidade por inovação, sendo um método de aceleração de fluxo de materiais no ciclo produtivo que busca a integração entre logística e gestão da cadeia de suprimentos.

Milk Run significa, literalmente, corrida do leite. O método consiste em um transportador coletar em duas ou mais fazendas sem cruzar caminho na rota: retira o leite, e em seguida entrega-o em uma empresa.

Esse sistema era adotado pelos produtores de leite nos EUA e atualmente vem sendo muito usado na indústria automobilística.

O objetivo principal do sistema Milk Run é reduzir os custos logísticos de abastecimento. O sistema propõe coletas programadas de materiais, buscando a otimização dos recursos de transportes, utilizando um único equipamento para realizar as coletas em um ou mais fornecedores e entregar os materiais no destino final, sempre em horários pré-estabelecidos.

O sistema é um importante aliado não só na redução dos custos com transporte, mas também na otimização dos custos com estoques em toda a cadeia de suprimentos. Como consequência colabora com o aperfeiçoamento dos processos logísticos. 

O sistema mira em:

  • Reduzir os custos logísticos;
  • Controlar os materiais que estão sendo transportados;
  • Reduzir os níveis de estoque;
  • Uniformizar o volume de recebimento de materiais;
  • Agilizar o carregamento e o descarregamento.

Entre os principais benefícios estão:

  • Embarques programados visando à necessidade do cliente;
  • Uso de janelas de coleta com data, horário e quantidades pré-estabelecidas.
  • Estoques reduzidos devido à pulverização de embarques;
  • Redução do trânsito interno na fábrica;
  • Maximização da capacidade volumétrica dos equipamentos de transporte;
  • Padronização de embalagens;
  • Maior agilidade no carregamento e descarregamento dos veículos;
  • Grande redução nos custos de manutenção de estoques;

Normalmente trabalha-se com ênfase na filosofia just-in-time, procurando seguir princípios como: redução do estoque de materiais, maior frequência de abastecimento de suprimentos, maior integração entre as partes que compõem o sistema, e etc.

Para o sucesso da operacionalização do sistema Milk Run, as partes precisam estar bem integradas. A comunicação e comprometimento entre todos evitará que problemas aconteçam.

Como exemplo: desgaste e perda de credibilidade junto aos fornecedores, maior custo de frete extra caso ocorra problemas, atrasos na retirada de materiais nos fornecedores e como consequência parada da produção por falta de material e etc.

Achiles Rodrigues

Por Achiles Rodrigues

Achiles Rodrigues Possui mais de 16 anos de atuação em logística, transportes, processos e pessoas. É professor de liderança e criatividade e um entusiasta do mundo digital. É graduado em administração de empresas, Teologia e pós-graduado em MBA Logística e Supply Chain.

 

Veja também: