ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Promo Caneca Natal

 

Landing Otimização - Quintiq


O Segredo da Supply Chain do Papai Noel

Estamos no período em que o Papai Noel acaba de realizar- mais uma vez- a façanha de enviar bilhões de brinquedos em um único dia, todos com entrega garantida durante a noite. Ano após ano, como ele consegue esse feito? Ao executar uma cadeia de suprimentos em tempo real.
 
Começa com a incomparável habilidade deste Velhinho em capturar e analisar dados grandes. Sua base de clientes é estimada hoje em 7,5 bilhões de crianças. Certamente ele gerencia esses registros em um banco de dados na nuvem- a mesma companheira das viagens de entrega porta a porta.
 
O Papai Noel assume uma abordagem omnichannel, pois seus clientes-alvo (crianças de todas as idades) estão em todos os canais físicos e virtuais. Outro canal-chave é o velho pedido manual, através dos populares sistemas de Correios, mas com o novo sistema de reconhecimento óptico de caracteres se converte em pedidos digitais. O Santa Claus também aceita pedidos por e-mails e mídias sociais. 
 
A previsão da demanda do Papai Noel deve fazê-lo arrancar a longa barba branca, tentando sincronizar a oferta e a demanda durante as reuniões de planejamento de vendas e operações (S&OP).Ele também tem que gerenciar milhões de SKUs que crescem exatamente ao mesmo tempo. Esses desafios complexos exigem um sistema de planejamento altamente responsivo, com revisão constante de algoritmos para antecipar necessidades e definir os limites de empurrar / puxar nos processos de PCP de última geração.
 
Os desafios logísticos são realmente sem precedentes. Primeiro, porque está localizado no Pólo Norte, ou seja, sua planta de fabricação e distribuição não está idealmente localizada a partir de uma malha logística (embora ele economize em custos de resfriamento para seu data center).
Em segundo lugar, com uma base de clientes de 7,5 bilhões, Papai Noel e seus elfos devem produzir mais de 20 milhões de produtos acabados por dia, 365 dias por ano, para garantir que o abastecimento atenda a demanda. Certamente, o Papai Noel está na vanguarda da tecnologia de impressão em 3D à medida que personalizamos e personalizamos mais os nossos presentes. Mas esses produtos se acumulam nos bilhões antes do envio, criando o desafio final de gerenciamento na Central de Distribuição... Ali, robôs autônomos móveis dão apoio aos duendes e garantem a produtividade máxima, sem erros de separação ou expedição.
 
Então, o Papai Noel tem a dor de cabeça do Transporte- realização de bilhões de entregas diretas ao consumidor em uma única noite. Ele pode aliviar esse fardo alavancando fusos horários, ainda que sua execução de entrega numa janela de 31 horas quebre as regras da carga horária para a sua rena. É incrível, pois visitar mais de 800 clientes por segundo requer uma viagem em milhares de vezes velocidade do som. Nenhum drone conseguiu ainda esta façanha!
Não há dúvida de que o trenó é conectado com os sensores da Internet de Coisas (IoT). Sensores de peso garantem que o trenó não esteja sobrecarregado ou fora de equilíbrio. Os sensores de saúde monitoram oito renas sobrecarregadas de trabalho. Os monitores de desempenho enviam dados e atualizam KPI´s em tempo real.
Finalmente, o rastreamento GPS permite que os pais assegurem que as crianças estejam adormecidas antes que Papai Noel entre pelas chaminés ou janelas.
 
Em suma, o Papai Noel opera Supply Chain em tempo real, na única operação de logística que é literalmente "na nuvem". E o novo ciclo acaba de começar para o próximo Natal, mediante uma grande reunião de avaliação de resultados e planejamento estratégico para 2018...
Luís Eduardo Ribeiro

Por Luís Eduardo Ribeiro

Diretor Executivo da LELO Logística e Operações ( www.lelolog.com.br ), que oferece suporte completo de consultoria e gestão para a logística de ponta a ponta. Já conduziu projetos com foco em otimização de operação e transportes, redução de custos, terceirização com operadores logísticos e aumento do nível de serviço oferecido a clientes em empresas como DHL, Carrefour, Ponto Frio e bioMérieux. Planejou e executou a logística de alimentos para 152 bares em 17 Arenas das Olimpíadas RIO-2016. Foi eleito Profissional de Logística do Ano em 2010 - prêmio da MundoLogística.

 

Veja também: