ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Promo Caneca Natal

 

Landing Gestão de CDs


Final de ano, comércio eletrônico e a exigência de investimentos para atender à demanda de entrega

Artigo | Por Mike Murkowski*

Com a chegada do final do ano, o volume de mercadorias que passa pelas empresas de transporte e logística cresce substancialmente. Para atender a essa demanda sazonal e seus prazos de entrega singulares, as transportadoras precisam planejar e fazer investimentos visando adequar sua capacidade operacional sem perder a conformidade com o montante regular do restante do ano.

Para se ter uma ideia do tamanho desse fluxo, somente a FedEx espera movimentar, em todo o mundo, entre 380 e 400 milhões de pacotes durante o período de pico – que acontece entre os dias 20 de novembro e 24 de dezembro. Cerca de 50 mil pessoas são contratadas nessa época do ano para dar suporte à operação.

Nesse cenário, o e-commerce se destaca como um dos grandes responsáveis por esse movimento.  Mesmo em países que enfrentam momentos econômicos desafiadores, como é o caso do Brasil, o comércio eletrônico apresenta estimativas de crescimento consideráveis. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Sistema de Proteção ao Crédito Brasil (SPC), em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), pela primeira vez no País as vendas de Natal online devem superar as vendas das lojas físicas.

É nesse período também que os brasileiros mais fazem compras no exterior. De acordo com um estudo realizado pela Paypal, em parceria com a Ipsos, com 28 mil consumidores online em 32 países, 49% dos brasileiros entrevistados disseram que compram produtos no exterior na Black Friday, e 43% importam mais durante o Natal.

Comportamentos como esses dos brasileiros se repetem em outras partes do mundo e justificam as projeções do mercado global. A FedEx, por exemplo, espera que mais de 26 milhões de pacotes passem pelo seu hub mundial, localizado em Memphis, nas três segundas-feiras mais movimentadas do período de pico. O que significa um volume recorde na operação da companhia – no ano passado, cerca de 25 milhões de remessas por segunda passaram por lá. Fora do período entre a Black Friday e o Natal, a transportadora movimenta, em média, de 13 milhões de remessas por dia.

Ao mesmo tempo que as empresas de transporte precisam se preparar para essa época do ano, os varejistas online também devem se atentar a ela. A boa gestão de questões relacionadas a estoque, logística e qualidade de atendimento ao cliente, entre outras, é fundamental para se destacar e sair na frente da concorrência nesse ambiente animador.

Um levantamento realizado pelo Google, em parceria com o Ibope, com 1.211 internautas brasileiros, revela que 87% deles pretendem fazer alguma compra no dia 24 de novembro, data da Black Friday.  Segundo uma outra pesquisa do Google, divulgada em agosto, clientes fiéis farão a diferença na Black Friday. De acordo com o estudo, 77% dos consumidores entrevistados comprarão em lojas virtuais das quais já são clientes. O faturamento de 2017 deve ficar entre 15% a 20% maior do que no ano passado. Analisando os resultados de 2016, os pequenos e-commerces aumentaram suas vendas em 161% na última temporada, enquanto as grandes marcas alcançaram 134%.

Diante desses números, tanto os realizados quanto os estimados, não há como negar que o período de festas representa uma ótima oportunidades para empresas de diferentes tamanhos e setores. Mas é preciso estar preparando para colher os frutos que ela oferece.

 

* Mike Murkowski é vice-presidente sênior de Operações da FedEx para a América do Sul

 

Veja também: